Tipos de algas e seu uso na culinária

Tipos de algas e seu uso na culinária

Existem diversos tipos de algas marinhas, mas cada uma é única no que diz respeito a coloração, forma, sabor e textura. Por isso, algumas são apropriadas para o nosso consumo, enquanto outras não caem tão bem na nossa cozinha.

As mais utilizadas para o consumo diário, algas que podem ser facilmente integradas à sua alimentação.

 

AGAR-AGAR – serve para dar uma engrossada na comida, pois não possui sabor. É vendida em pó ou em fios e também pode substituir as gelatinas de origem animal

ARAME – fininha, escura e dona de uma sabor suave, é ótima para se acostumar com algas na sua alimentação e pode ser facilmente integrada a um prato com legumes cozidos (cozinhe junto). Junte-a aos legumes que mais gosta e faça a vapor, salteada ou como salada. A arame ganhou esse nome por causa de seu formato, parecida com um arame mesmo. É rica em minerais, como ferro e cálcio. Importante: deixe de molho por 15 minutos antes de cozinhar, e cozinhe-a por 30 minutos

DULSE – de cor vermelha, essa alga é macia e possui um sabor característico, sendo muito usada para temperar sopas e outros pratos. Ela é rica em minerais como magnésio, ferro, potássio, fósforo e iodo

HIZIKI (ou hijiki) – essa é comprida e escura, com textura semelhante à alga Arame. Porém, é mas mais espessa e possui um sabor muito mais forte (gosto de mar). Riquíssima em ferro e cálcio. O melhor é deixá-la de molho por pelo menos 10 minutos antes de usar, pois ela aumenta de volume quando é hidratada (cerca de 5 vezes!)

IRISH MOSS – como o nome sugere, essa alga também é conhecida por “musgo da Irlanda”. É muito utilizada na indústria alimentar para solidificar os alimentos

KELP – tem uma coloração que varia entre castanho claro e verde escuro e é facilmente encontrada em feiras e mercados. Geralmente é vendida em flocos, podendo ser usada para incrementar os seus pratos prontos

KOMBU – é a mais larga e espessa das algas e conta com uma cor escura. Pode ser cozida junto com o feijão para tornar os grãos mais macios e mais fáceis de digerir, ou com vegetais, realçando o seu sabor e ajudando na digestão das fibras. Também é boa para fazer sopas e caldos, principalmente de legumes

NORI – essa alga tem folhas finas, com coloração roxo escura, mas que fica verde fosforecente quando é torrada. Depois de secas as suas tiras servem para envolver o sushi. Para que as tiras das algas fiquem mais duras e para poder segurar o arroz, basta tostá-las rapidamente na chama do fogão, também pode ser consumida pura, ou pode picar e colocar em cima de caldos, sopas, saladas, legumes ou feijões. A Nori é rica em iodo, cálcio, ferro, potássio e proteínas, além de contar as vitaminas A, B1, B2 e C

WAKAME – as folhas enroladas e verde-escuras têm sabor suave e adocicado. Por isso, a alga é indicada para acompanhar sopas e legumes. A wakame é rica em iodo, magnésio e ferro, além de proteínas

Textos recolhidos de: http://www.guiadenutricao.com.br/algas-marinhas